Alice

Alice veio a vida para nos fazer sorrir, para trazer a alegria para aqueles que precisam de um sorriso para se sentir alguém. Alice é sempre alegre, mesmo de face dos maiores problemas. Alice poderia ser muito bem um anjo enviado para mostrar-nos a graça de viver e ser feliz. A história dela é algo muito belo, fo rte, que realmente meche com qualquer um que ainda ultilize o ar para respirar. Alguém como Alice não poderia ser levada daqui de uma maneira trágica, feia, desonrada. Alice merece ser a última pessoa a sair da face da Terra, pois nem a mais fria das pessoas seria capaz de resistir ao encanto do sorriso e humor de Alice.

Anúncios

“Só chuva e lágrimas”?

Se quiser nos separar, minta. Se quiser nos aproximar, sorria. Felícia porque a felicidade está até no nome dela. Esse é um dos motivos pra eu sonhar com ela. Acredito que minha melancolia e solidão deve ser completado com tua felicidade e diversão. Nossa alegria nasce quando ela me ilumina com aquele sorriso, quando o brilho da lua é refletido no teu olhar. Quando a chuva cai lá fora traz o cheiro dela pra mim. Cheiro aquele que ficou na minha mão depois de meus dedos abraçarem o seu. Ó, sonho bom. Não há estrelas no céu que deêm pra contar a quantidade de felicidade que você me traz.

Tempestade.

Aquele mesmo olhar que sempre me apaixona, as mesmas cores, os mesmos gestos. São as palavras que ela diz, são os olhares que ela faz, é o sorriso que ela tem. Tudo nela é belo. Do teu cabelo negro-longo-muito-escuro até a tua pele alva-muito-clara, que parece ser sido feita dá mais fina porcelana. É o teu cuidado com suas palavras, medidas, desconfiadas, que ela diz em voz tão baixa que se confunde com o sopro do vento. É o céu encoberto, que a cinco minutos era lar de pequenas estrelas, que a encantava. Mas foram as nuvens, e foi a chuva que se aproximava dali que aumentou a preocupação. Mas foi esta mesma preocupação que a fez abraçar-me fortemente, e perguntar se pra sempre eu estarei ali ao lado seu. Em meu desejo eu não quero jamais deixa-lá, mas contra nós terá estará tempo, os problemas e dificuldades, e a nosso favor o amor e o desejo de ser sempre dois-como-um.

Senha: março08

Lembrei e não fez bem

Você podia ser feliz e eu nunca vou saber
Mas você não estava bem quando eu te vi partir
E tudo que não queria dizer pra você
Orbitam em minha cabeça até eu enlouquecer

Será que é tarde pra lembrar de como eramos eu e você?
Não dos últimos dias de brigas, tentando te esquecer
Uma das únicas coisas que me lembro foi de pensar
É que eu devia te impedir te partir

Você podia estar feliz, e eu espero que sim
Pois só você me fez feliz como eu nunca fui
De alguma forma tudo tem o mesmo cheiro que você
E por um curto tempo tudo parece um sonho

Faça as coisas que você sempre quis
Sem eu lá para te impedir, não pense mais em mim!
Mas do que tudo eu quero te ver feliz
Mesmo você estando com outro alguém pensando em mim.

Ps.: Minha versão pra tradução da música ‘You could be happy’ do Snow Patrol. Uma música muito especial pra mim, e pra quem escuta é emocionante. .

Rua amarela

Eu quis visitar Julia, perguntei então onde ela morava. Ela me ensinou em mapa escrito as ruas: Rua Amarela, nº23. Disse também que sua casa ficava bem em frente a uma casa, amarela igual a tua. Segui o ‘mapa’ nos mínimos detalhes, e cheguei então na rua descrita.
Até hoje não encontrei a casa de Julia. “Porque?”. Porque na rua amarela, moram apenas sonhos, planos e esperanças, em casa de espelhos que refletem a luz do Sol, por isso a rua amarela só pode ser visitada de dia, e de dia Julia nunca está em casa.

* “Dizem que ladrão que rouba ladrão tem cem anos de perdão. Então não tem problema algum se eu te roubar um beijo, já que roubaste meu coração.”

Casa 23.

Bato a porta. Espero você abrir. Espero que você venha vestido com seu melhor sorriso. Que venhas sem maquiagem de tristeza alguma. O céu tá tão carregado agora aqui fora, mas aposto que ele abriria mão de todas aquelas nuvens pra lhe mostrar todas aquelas estrelas que parecem irmãs tuas. Agora está um silêncio cego-mudo de uma rua inteira. Ouço passos, creio que vens agora pra eu te abraçar daquela forma, como se eu não te visse a cem longos anos. Imagino cenas, possibilidades, procuro palavras, crio frases legais pra te dizer. Então, é agora, a fechadura vai se abrindo aos poucos. A porta fechada vai abrindo-se, vejo uma mão, agora um rosto…
– “Oi, tudo bom?”
– Ah, ela está ai?
– “Não, não está. Saiu pra casa de uma amiga, pra estudar.”
– Ah, obrigado. Avisa a ela que vim aqui, ok?
– “Certo, aviso sim.”
– Beijos, tchau.
– “Tchau.”