Flauta Doce

            Tá bom assim. Foi só mais um degrau, certo? Me diz que você vai ser minha casa agora, que vai estar ao meu lado sempre que poder estar. Eu gosto tanto de ti, deixa eu te mostrar. Te olhar assim como eu faço é tão bom, me deixa feliz, me faz querer jamais partir. Queria esquecer o caminho de volta para poder ficar contigo, assim, ao teu lado, para sempre. Vamos esquecer que tudo isso é sério, ok? É bem melhor assim. Deixa os outros perguntarem sobre a nossa vida, deixe-os perguntar sobre o nosso coração, e não tenha medo de não responder. Você se importa por eles perguntarem muito sobre nós dois, por te perguntar quem sou e por perguntarem a mim também quem és, mas entenda meu bem, se eles perguntam isso é porque o nosso amor os encantou. Mas não, não os conte… Não ainda. Vamos aproveitar este amor só para a gente, sem dividir com ninguém. É, vamos esquecer que detrás daquele portão esconde-se o mundo, vamos esquecer que o perigo está à solta. Não se deixe levar por coisas bobas, ciúmes banais, o nosso sentimento não é cristal pela dureza, e sim no brilho.

26 anos

Tenho 26, formado, o carro que sempre quis, meu lugar para morar, meu emprego. Meus irmãos dois irmãos estão bem, um está formado e com bom emprego, outro cursa a faculdade e pretende ir para o Japão quando concluir. Minha mãe aos sábados e domingos pela manhã dá aulas particular de piano, e nos finais de semana trabalha em uma ONG com o ensino inicial de música com crianças. Meu pai formou-se em duas faculdade ao mesmo tempo, aos 43, e agora leciona em uma faculdade particular direito, e antropologia na estadual. Meus amigos todos seguiram suas vidas, não os vejo todos, os mais próximos ainda vejo com freqüência e nos visitamos nos finais de semana. Ainda nos reunimos as sextas para tocar música, e aos sábados jogamos futebol. O Fernando casou faz pouco mais que um ano, o Morais casou-se com uma amiga nossa da escola faz três anos, e têm um filho. O Carlos demorou a entrar na faculdade, mas está no último ano, e ainda é solteiro. Minha vida é calma, tranqüila. Pela manhã e noite vou ao trabalho e agora estou pretendendo preencher minha noite com alguns cursos de design ou algo na área técnica da música, hobbies antigos meus. Ainda ouço as velhas bandas de antes, mas também ouço novas coisas que surgiram. Muitos invejam minha vida, elogiam também a maneira com que vivo, dizem que tenho a vida perfeita, e pode até ser que eu tenha uma vida quase perfeita, mas ainda não parei para pensar nisto ainda. No fim deste mês estou indo para Londres, vou passar uma temporada lá à trabalho, e vou levá-la comigo. No dia 30 vamos nos casar, na praia, como a gente planejava, antes mesmo de saber que isso ia ser sério. Só eu e você, nossos familiares e amigos mais próximos. Ah, eu convidei também aquele cantor que nós gostávamos na adolescência para cantar no casamento, não cobrou tão caro, pois gostou da nossa história, quando lhe falei que nosso amor foi embalado em suas canções. Quem diria que ia ser assim, hein? Como muda o tempo. Como o tempo muda as coisas. Como as pessoas mudam com o tempo.

The Wedding Album

Lembra, meu amor, daquele dia? Por Deus, como você estava linda, e nem precisou de demora. O teu cabelo, as flores na tua mão, aquele colar no teu pescoço, caindo em seu busto, o branco. E aquele vestido, longo, mas não tanto, sem charme demais, sem chamar a atenção, somos nós afinal. E o mar, a praia e o céu naquele fim de tarde foi um presente de Deus. Eu não sei ainda se foram só meu olhos, se foi minha mente ou coração, só sei que daquele dia eu não abro mão de lembrar. Meu bem, foi tudo como você quis, e foi assim que eu quis te ver feliz. Você estava tão feliz, amor. Nossos dias ainda podem ser assim para sempre, eu quero fazer por onde teu sorriso só se mostre para mim. Eu quero fazer por onde ser o brilho em teus olhos e o ritmo acelerado de teu peito, eu quero estar nos teus planos perfeitos, eu quero ser o teu sonho bom. Deixa então a coragem de lado, vem assistir essa TV comigo sem se preocupar o que vai passar. Vem que agora chove lá fora, vem que já é esperada a noite. Não há para quê se preocupar, o que você quiser vai ter, o que pedir eu vou te dar, e em troca eu só quero o teu sorriso, eu quero ser tua felicidade e não tristeza. Eu quero te dá a certeza que os meus dias só pertencem a ti. Deus sabe, para ele eu jurei te amar por toda a vida, e ele há de me ajudar. Deita então, que é no teu sonho que eu virei te visitar.

… – 1

Eu não saio mais de meu lugar, só para esperar você vir me procurar. E se não vier? Tudo bem, eu ainda estarei em meu lugar. Você me diz que está triste, que seu dia hoje não foi bom. Eu te escuto, tento falar bobagens legais de se ouvir, só pra te ver sorrir. Hoje eu não vou perguntar o que te faz assim, meio brigada com a tristeza. Hoje eu só vou te mostrar o que de bom eu trago. Deixa eu espantar a solidão de ti estando aqui. Deixa que não demora e você vai ver um sorriso nascer no teu rosto, mesmo que para isso eu tenha que falar bobagens. Deixa então eu dizer que já é hora, e eu vou ouvir você dizer: “Muito obrigado por ter vindo aqui”. Nós dois, não é tão difícil assim. E se o que falta é um pouco mais de amor, deixa nos sorrisos nosso amor se expande. Fé não falta, só a falta de teus risos me deixa meio assim, um pouco fora de centro. Espero então você falar, para eu te prender em risos, pequenos contos juvenis, perguntas sobre você, e alguma piada sem graça que te faça rir, só para você lembrar de mim quando precisar falar com alguém que te faça sorrir.

De portas fechadas.

Não há mais o que dizer, já não há mais o que se sentir. Tudo que alguém como Cecília, Felipe e Marcela, poderiam dizer já foi dito. Não há mais aquele motivo, não há mais para quem se falar. Mas acredite, foi tão bom, muito mais do que alguém como Felipe poderia imaginar. Algo que jamais Marcela poderia esperar de tal pessoa, fria, calada, pacata, anti-social e todas as qualidades irrelevantes. E qual é o fim de tudo isso? É este, e é assim, sem menos, só mais.

As estórias de amor nunca terminam, apenas são deixadas de lado. E é porque virão outras pessoas que eu preciso te esquecer? Não, pelo contrário. É agora que eu vou mostrar a falta que você me faz, ou quem sabe até a falta que te faço, mas isso depende de você me contar. É a partir de agora que vou começar a te desenhar, descrever melhor, agora que resolvi tocar a vida sem te esperar, quer dizer, sem te acompanhar, esperando eu sempre estou, e sem cansar.

De fato, nosso amor não é para agora, é para a vida inteira, ao menos assim que eu quero, e por isso está cedo demais para acabar. Pegue meus versos e apenas os entenda como um sentimento. Esqueça todo o ressentimento que eu possa ter de causado. Veja, vou estar aqui sempre, do outro lado da tela, do teu lado, à espera, ou apenas esperando você me cumprimentar dizendo meu nome.

Sorria, desta vez você não precisa ficar chateada por ter que dizer ‘não’ a alguém, desta vez eu acho que te entendi, espero que tenha me entendido também, sem cantadas desta vez. [risos] Eu só quero ser seu se for para ser o último. Ainda posso te chamar de Marcela? Ou melhor: Marcela ainda pode ter teu nome?