Outros dias.

Corremos através do tempo
Esperando sempre mais
Nos perdemos sempre mais um pouco
Não olhamos nunca para trás

Nós sabemos o que queremos
E a cada dia queremos mais
Juntos fazemos o que podemos
Por um ideal que vale muito mais

Não desistiremos nunca
Nunca te deixarei pra trás
Porque juntos somos um
Mais fortes que muitos mais

Anúncios

“Sem medo”

Há algum tempo que eu escrevi diretamente aqui umas palavras ordenadas. Eu não tinha idéia do que eu queria que fosse. Pensava como se fosse uma história, escrevia como se fosse uma canção e imaginava como um sonho. “Sem medo” vem a ser para aos que participam do processo produtivo do “um fim de tarde em qualquer lugar” – primeiro EP da banda da que faço parte, a trintadeoutubro -, uma das músicas mais empolgantes. Resolvi falar dela aqui pois acho que um dia gostarei de me lembrar os motivos e sentimentos que essa canção me traz, se for o caso de um dia eu me esquecer.
“Sem medo” tem para mim vários sentidos distintos.
1º sentido – trata-se da história de um homem de mais ou menos 53 anos que, quando jovem, assim como milhares de brasileiros nordestinos, resolveu arriscar sua sorte indo com a roupa do corpo para São Paulo com a crença de que conseguiria uma vida melhor e voltaria para ajudar sua família. De forma resumida a canção tenta falar da volta do mesmo a sua terra natal, exaltando as coisas boas e os motivos que o levam para isso.

ou outros eu ainda não concretizei.

201.2.

Eis aqui aquele velho comentário sobre 2011. Este, mais que os outros, vem ser para mim um ano bom. Tivemos novos planos, conhecemos coisas novas, insistimos em coisas antigas, vimos que precisariamos esquecer outras tantas, deixamos brechas para novas que estão por vir. Sinto em mim que 2011 foi um ano de mudança, seja ela de comportamento, roupas, músicas, frases ou temas. Aprender a admirar as coisas simples da vida é um exercício contínuo que ouso realizar a cada instante. Gostaria de ser sensível a ponto de sentir o mundo como Jeff Buckley. Eu venho a cada dia buscando coisas novas em mim para pavimentar meus próximos passos. Da janela de minha sala no primeiro andar do meu trabalho eu observo o céu quase a cada instante. Tomo uma antena de rádio como referência tornando mais perceptível que o tempo está passando junto com o vento e mudando junto com as nuvens, deixando para trás tudo aquilo que insiste em obedecer as leis da estática. Que no próximo ano seja melhor e, diferente da estática, que o somatório das nossas forças em quaisquer direções seja diferente de zero e possamos sair da inércia. Agradecemos a todos aqueles que insistentemente visitaram este quarto (trintadeoutubro) a procura de algo novo se decepcionando com um cara amargo que demorou para colocar o que sentia e pensava para fora. Desculpa pelos poucos sinais de vida aqui neste ano, mas nesses tempos em que fico longe daqui eu estou querendo dizer que a vida tem estado mais interessante para se viver do que se comentar. Que toda vez que você vier aqui e ver que está tudo igual, não entenda como falta de interesse, mas sim perceba o interesse de um alguém que está curtindo tanto o que está acontecendo aqui fora que preferiu ficar mais um pouco. Eu sempre digo: eu vou e volto o tempo todo.

Um abraço mais que apertado a todos os visitantes, passageiros, amigos, familiares e aqueles que acreditam que o amor pode mudar o mundo.

Que Deus abençoe nossas vidas e o mundo nos próximos dias.