entropia

O caos em sua forma mais pura. Uma confusão vem em nuvens negras em uma tempestade no meio do verão.  As sirenes na vizinhança,  o bebê que chora, a TV que mostra mais uma aberração.  Psicopatia cotidiana. O concreto dos edifícios,  o asfalto das pistas. Gás carbônico e dióxido de carbônico concorrem nos pulmões. O mar por onde navego se agita. Sobre o murmúrio de tua voz ele se cala, se deita, escorre manso e nas pedras dorme.  Caos rasgado pela ternura.  Simplicidade do dia-a-dia.  Uma frase estampada me faz lembrar de você. Faça pequenas coisas com grande amor. Por algo depois do “boa noite”.

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

w

Connecting to %s