As cartas de Cecília

“Olá,
Preciso te dizer algumas coisas e não sei ao certo que me entenderás. Você poderá aborrecer-se e nunca mais querer me ver, ou querer saber de mim. Desculpa, mas hoje mais cedo descobri que tudo aquilo que eu sentia por você, que te disse inúmeras vezes é mesmo verdade. Ah, e porque isso seria ruim para você? Porque embora eu soubesse que tudo isso que sinto por você é verdadeiro, ainda não é ou foi suficiente para me fazer esquecê-lo. Quem? Sim, ele, aquele a quem meu coração pertencia antes de ti. Estive pensando, seria terrivelmente frustrante para você saber de tudo isso e mesmo assim querer continuar comigo, sabendo que eu amo outro alguém muito mais do que te amo. Por isso decidi por nós separarmos nossos versos, e deixar cada vez mais fraca a nossa luz. Você pode escolher se quer ir ou ficar. Mas o meu coração decidiu com dor por mim, eu vou atrás de quem eu amo. Iria doer em ti ficar com uma pessoa que não te quer tanto assim, e doeria em mim por não ter quem eu tanto quero. Por isso te deixei essa carta, para não ter que te ver chorar, para não mudar de idéia só porque teu choro me comoveu. Espero que encontres alguém tão especial para você o quanto ele agora é para mim. Desculpa essas palavras, mas foi a melhor maneira que encontrei.

Te cuida, Cecília.”

Anúncios

Talvéz você entenda.

Em meu lugar, no meu lugar
Estavam limites que eu não podia mudar
Eu estava perdido, sim
Eu estava perdido, estava perdido
Cruzei linhas que não deveria ter cruzado
Eu estava perdido, ah sim

Sim, quanto tempo você tem que esperar por eleo?
Sim, quanto tempo você tem que pagar por ele?
Sim, quanto tempo você tem que esperar por ele?
Por ele

Eu estava assustado, estava assustado
Cansado e despreparado
Mas eu esperei por você
Se você for, se você for
Então deixe-me aqui sozinho e abatido
Então eu esperarei por você, sim

Cante por favor, por favor, por favor
Volte e cante para mim
Para mim, mim
Vamos lá e cante pra valer, agora, agora
Vamos lá e cante pra valer, para mim, mim
Volte a cante

In My Place, Coldplay. Tradução.

Entre livros e canções de amor.

Quanto tempo eu tento, e me contento em ser apenas o vizinho de teu abajur, e daquele livro de poesias que você tanto gosta. E toda noite, dali, te observo dormir sorrindo. Eu que não posso me mover, fico feliz por também não sair do teu lado, naquele momento onde sempre estamos felizes. É bem certo que quando eu não mando notícias, ou erro em alguma coisa que te aborrece você me põe de cara com o chão. Por algumas horas tudo fica terrivelmente escuro, eu ouço sua voz e seus passos, ouço você bater a porta. Depois de algum tempo a porta novamente é aberta, ouço você andar apressadamente e deitar com força na cama. Você chora a ponto de soluçar, mas em alguns momentos torna-se um choro contigo, controlado, daqueles que só as lágrimas se movimentam, enquanto você fica parada silenciada em seu travesseiro úmido. Então você fica em silencio por alguns instantes, põe os pés cobertos por meias listradas em preto e branco para fora da cama, sobre o tapete bege. É quando você me levanta novamente, com os olhos vermelhos e lacrimejantes de tantas lágrimas. Você olha para mim e pergunta por que tudo tem que ser assim, pergunta o porquê de eu nunca estar quando você mais precisa de mim. Eu queria poder te responder, te abraçar naqueles instantes. Eu queria ser o teu porto seguro, o ombro que apóia a tua cabeça até dormir. De alguma forma subconsciente você entende que a razão de eu não poder estar ali não depende só de mim. E me abraça como de uma forma que eu não posso retribuir, nem me envolver sem seus braços. Você me beija, diz me amar, e promete esperar por mim, o tempo que for. Mal sabe você o quanto eu espero os finais de semana, é meu maior sonho nas noites frias longe de ti. Você pára de chorar, me põe de volta no meu lugar. Se deita e cobre-se, e eu fico ali, só a te observar dormir, aqui dentro desta moldura fria, que você nos colocou para lembrar de mim.

Belissíma Imperfeição

Vamos sair por aí, vamos andar pelas ruas desertas cantando canções de nosso agrado, em um coro desafinado. Cantando canções de amor como se fossem hinos de revoluções por um amor melhor. Esse amor poluído que entra por seus ouvidos e suja o peito está vencido, é um amor transgênico, que de nada se aproxima de um amor real. É um amor embalado para viagem, seco, sarcástico, com uma bela embalagem para iludir aqueles que ainda ousam em crer que o verdadeiro amor existe. Não sei se é cedo, se é tarde, eu não sei se é o fim, eu nem se começou. Mas eu já sei que falta vida, falta o vermelho, falta o sangue, falta a emoção. Eu só queria compreensão, eu só queria que uma vez você me encarasse de igual para igual. Eu queria que você dissesse o que passasse pela sua cabeça sem pensar, queria que você me ferisse, me espantasse, me surpreendesse, que apenas acreditasse. Acreditasse só uma vez, uma vez só, que o que eu digo é realmente sincero. Mas entendo que fica difícil de convencer assim, aqui, neste lugar onde tudo é tão cinza, sem vida. É um lugar inóspito que te faz sentir mal. Mas foi aqui que eu te conheci, foi aqui que me declarei para ti. Foi aqui que eu te contei, foi aqui que você me disse o que achou.

Deseja salvar as alterações em ‘Sem título’?

Nada nem niguém podem substituir algo ou alguém, é simples. Assim como uma má ação não compensa outra boa ação. Não tente me convencer que ouvir sua voz, ou ler cartas tuas tem o mesmo sentimento do que te ver. Sua voz é doce de se ouvir, suas palavras belas para ler, mas te ver é algo que minha mente não consegue calcular. Acho que eu tentei mudar, demais, e acabei voltando a ser eu mesmo. Aquela mesma pessoa a quem você ignorava, que era indiferente para você. Embora eu ainda pense que não mudou muito [risos]. Eles querem me iludir dizendo que você vai ficar comigo no final. Acho até que seria dificil eu me convencer mesmo que voce disse isso assim, na minha cara. E como será que vai ser próxima semana? O que vai mudar daqui para lá? Quem vai estar do seu lado e quem vai estar em minha cabeça? Em pouco tempo tudo muda, e nós nem nos lembraremos disto aqui. Me lembro do que disse Daniel, ‘é um ciclo’, simples. Eu não vou me esforçar para te amar, espero que não faças o mesmo. Eu queria me livrar por completo desta incerteza cotidiana. Enquanto isso me contento com seus risos de piadas minhas.

Polaróide.

Domingo, manhã fria. Pelas brechas da cortina o sol vai entrando aos poucos, até tocar seus pés descobertos. Você ao meu lado, deitada a cabeça sobre meu peito vestido de uma camisa azul gelo. Os cobertores beges ficam cada vez mais claros com o sol tomando o seu espaço. Teu vestido verde-limão-com-leite, com bolinhas minúsculas de verde-lodo, junto com seus cabelos formam uma bela aquarela que realça os teus olhos claros. E quando o sol se aproxima do teu rosto, você começa a despertar, move suas mãos sobre meus braços, e aos poucos vai abrindo os olhos. Ao abri-los vê que estou te observando ali, passo as mãos em uma mecha de cabelos seus que escorregam em seu rosto lentamente, então você sorrir timidamente-feliz, e me dá um beijo ‘simples’ que tem o valor de milhares de cartas kilometricas. Me olha, agora meche em meus cabelos,  ficamos ali abraçados sem falar nada, olhando um para o outro, trocando caricias. Te digo que estou exatamente onde eu queria estar, com você, de mãos dadas com a felicidade que eu construi em sonhos. Você rir e diz que não preciso usar palavras bonitas para lhe convencer que sou feliz ao teu lado. Você me diz palavras simples, porem belas, tão belas com esse sorriso que não consigo parar de admirar enquanto escorrego meus dedos em teu rosto. Pouco tempo depois você cai em sono, e eu me levanto, lavo o rosto e te preparo um café, que te entrego no colo após te acordar com um beijo no rosto. Você sorrir e divide o café comigo, nos abraçamos e deitamos novamente olhando um para o outro até você ir fechando os olhos lentamente novamente. Eu te observo dormir, é meu esporte favorito. [risos]
O.f utu  ro.a i  nda. pod  e.se  r.a  ss im.

Primeiro andar.

O que eu preciso mais fazer? Quando eu penso que já fiz tudo você vem me mostrar que teu coração vale mais. E das vezes que eu falei que te amava e você nunca me levou a serio e respondeu com um ‘te amo’ como apenas um troco. Ou será que você falava sério, ou será que não? Por todo esse tempo que eu venho tentando conquistar ao menos o direito de te chamar de ‘meu bem’, eu ainda não consegui entender bem ao certo o que você quer. Será que eu preciso ser mais especifico e direto? Será que vou te explicar que tudo aquilo foi apenas um plano bobo para te ver? A vontade de estar com você, de falar com você, de ver você é tão grande que tenho contado os dias, e esses dias têm sido cinzas sem você para me alegrar, me zoar, brincar comigo, me chamar de meu amor, ou usar um apelido qualquer, ou apenas para me fazer sentir um pouco menos só. Sua presença já é muita para um cara como eu que só quer sonhar em te ter, todos os dias, e virar-me a noite inteira, madrugada adentro de cabelos assanhados pensando em você. E todas aquelas coisas que me fazem lembrar você, parecem ter seu sorriso, seu olhar ou sua voz quando eu ouço essas canções com um ‘uh-uh’ em coro ao som de um sax no final do refrão. E tudo isso que eu escrevo é para tentar me convencer que um dia você vai perceber, mais do que isso vai me entender, e quem sabe até passe a me olhar com outros olhos. Sou pessimista, e não espero um ‘eu te amo’. Mas se tudo isso for só coisa da minha cabeça serão ainda maiores os motivos para acreditar que só palavras e sentimentos sinceros não são suficientes para se gostar e conquistar alguém. Creio que você é especial, e eu só quero que você tenha essa certeza, estando comigo ou não. Enquanto isso a banda toca e ‘eu escrevo e te conto o que eu vi’.